REGRA E STATUTOS DA ORDEM DE SANTIAGO.

Lisboa: Galharde, 1548
196 mm
(4), XXXV, (r.XXXVII), (I), XXXVIII, (4) f.; Encadernação inteira em pergaminho. Frontispício e iniciais xilogravadas, com sete grandes xilogravuras ao longo do texto.

Anselmo, 635
BM Portuguese Books, 136 Innocencio, VII, 62 nota Palau, 256242
Palha, 2576
Rei D. Manuel, 63
Simões, 548

€ 18000.00

Add to basket

Esta edição é semelhante às anteriores, quer pela raridade quer pela composição, mantendo as mesmas xilogravuras que as edições antecedentes (1540 e 1542), com uma importante excepção: o emolduramento xilogravado da página de rosto, que se tornou particularmente famoso, uma vez que se trata do mesmo que ornamenta a primeira edição de “Os Lusíadas”, conforme referiu D. Manuel.

O livro consiste na publicação das regras e estatutos da Ordem Militar de Santiago, que teve um importante papel na História de Portugal, em particular durante a primeira dinastia. Reza a lenda que numa batalha (a batalha de Clavigo, supõem alguns autores), quando o rei Ramiro I derrotou os mouros, deu-se uma aparição do apóstolo Santiago, montado num cavalo branco, lutando contra os infiéis.

Na presente edição, uma xilogravura de página inteira ilustra a lendária narrativa: Santiago ocupando a parte central da composição e expulsando os mouros para a margem. As outras gravuras incluem a xilogravura apresentando as armas do duque de Coimbra, as bandeiras da Ordem (a principal e a bandeira em presença régia),

os selos usados pela Ordem e uma interessante iconografia de Santiago, também de página inteira.
Conforme notou D. Manuel, a Ordem de Santiago foi oficializada pelo rei Fernando II de Leão, em 1161 (ou 1170, como defendem outros historiadores). Foi então introduzida em Portugal, no tempo de D. Afonso Henriques, que a instalou na Arruda em 1172, embora não se possa ainda assumir que os Cavaleiros se tenham instalado nesse período. Ainda segundo D. Manuel, a ligação à Coroa só terá ocorrido com a bula papal Praeclara carissimi.

No entanto, as ordens militares tiveram um papel predominante na História de Portugal desde os primórdios da nação. Trata-se da evocação dos tempos em que
os homens lutavam com fé numa grande cruzada, guerreando sob o estandarte
real com amor e lealdade para defender o território de Portugal, pelo que esta obra materializa, no tempo presente, a aura e a poética da História do passado glorioso de Portugal.

Exemplares: Biblioteca Nacional de Portugal; Biblioteca da Universidade de Coimbra; Biblioteca Nacional de España.

€ 18000.00

Add to basket